7 de setembro de 2015

Psychology Of Sex 3 (Capítulo 6)

A casa onde Vanessa estacionou o carro fazia parte de um vilarejo onde várias casinhas faziam residência. A de Vanessa era uma das maiores, mas mesmo assim não deixava de ser simples. O carro dela estava estacionado numa garagem coberta na lateral da casa e então eu a vi abrir a porta da frente e entrar levando as sacolas e a bolsa.

- Dá um tempinho antes de ir atrás dela. Ela não vai mais sair de casa, são quase 20h da noite. – disse Chace e eu assenti. – E se ela sair nós iremos ver. Me dá um segundo, preciso fazer uma ligação.

- Ligação? Chace, estamos em outra cidade, não sei se você vai conseguir fazer ligação com esse chip.

- A cidade não é tão afastada, Zac. E o chip está pegando. Espere um minuto.

Ele desceu do carro e começou a discar algum número rapidamente. Pousei minha cabeça no volante do carro e com o silêncio eu ouvia meu coração bater muito forte e rápido. Cada batida que ele dava, eu sentia uma dor excruciante no peito. Eu precisava acabar com isso logo. 

Olhei Chace e ele falava rapidamente no telefone gesticulando depressa com as mãos. Então ele desligou o celular e sentou no banco do passageiro.

- Com quem você estava falando? – perguntei arqueando a sobrancelha.

- Com a empregada. Queria que ela limpasse o quarto de hóspedes de lá de casa, faz tempo que ela não faz isso.

Ok. Desde quando Chace tinha uma empregada? Olhei para ele desconfiado, mas a expressão dele permanecia impassível.

- Acho que já está na hora.

- Zachary, espera. – disse Chace me impedindo de abrir a porta. – Ainda não tem nem dez minutos que nós estamos aqui. Deixe a garota chegar primeiro.

- Chace, eu não quero esperar mais. – gritei e ele me observou. – Eu estou cansado de esperar. Estou esperando há cinco meses por uma notícia e agora que eu a encontro você quer que eu espere mais?

- Você está na frente da casa dela! Quer coisa melhor? Para de ser apressado e pelo menos pense no que você vai falar pra ela. Não chega lá pensando que vai sair na hora, porque não vai. Ela vai cair matando em cima de você. – eu olhei para baixo e relaxei o corpo. – Você acha que ela veio pra longe por quê? É lógico que quando ela te ver, ela vai ficar louca da vida. Pensa um pouco no que você vai falar.

E então várias coisas tomaram conta da minha mente. Tudo o que eu deveria falar pra ela passava como um filme na minha mente, tudo o que ela precisava ouvir. Mas vinha na minha mente também o escândalo que ela provavelmente faria. As coisas horríveis que eu teria de ouvir sair da boca dela, tudo o que ela estava sentindo, sofrendo iria ser jogado em cima de mim e eu sabia que era minha culpa. Mas eu queria tanto recomeçar, queria tanto que ela me perdoasse. Eu não imaginava a minha vida longe dela e dos meus filhos.

Filhos...

Ela estava esperando gêmeos! Nunca que eu imaginava que poderia acontecer isso! Eu pensava que ela estaria grávida de apenas um bebê e quando eu a encontro, além da surpresa de encontrá-la, eu descobri que ela estava esperando gêmeos.

- Gêmeos... – sussurrei sorrindo e Chace sorriu também.

- Tá sonhando com os filhos, não é? Eu também to aqui todo bobo imaginando... Zachary Efron, pai de gêmeos, quem diria hein?

- Pois é... – falei sorrindo e olhei o relógio no painel do carro. Eram quase 21h30min.

- Acho que você já pode ir... Eu te espero aqui.

- Eu... Você jura que fica aqui, que você não vai embora?

- Claro, né. Até parece que eu iria sair sem ao menos saber o que vai rolar daqui por diante.
- Obrigado, cara. – dei um abraço nele e ele retribuiu. – Obrigado por tudo.

- Vai firme, Zac. Tudo vai dar certo. Ela vai voltar pra você.

E então eu saí do carro batendo a porta de leve. A cada passo que eu dava que me aproximava de onde Vanessa estava eu sentia meu coração bater mais forte. Via todos os acontecimentos passar como um filme na minha mente, via como todos estavam me apoiando e isso me deu mais força para conseguir enfrentar a realidade.

Como eu havia dito, eu agora tenho por quem lutar. Eu tenho que lutar pelo amor da minha vida e pelos meus filhos, tinha que lutar pela minha felicidade, que por um engano meu, fora roubada de mim à mais de seis anos. Atrás daquela porta estava a mulher da minha vida e tudo o que eu queria era me reconciliar com ela, pedir perdão, nem que eu tivesse que implorar, rastejar... Eu a quero toda e completamente para mim.

Parei em frente à porta de madeira escura e percebi que não havia nenhum olho mágico para que ela conseguisse me ver antes de abrir a porta. Olhei para a janela ao lado da porta que estava trancada. O vidro da janela era escuro, então ela teria que, realmente, abrir a porta para saber quem estava batendo. Bati três vezes na porta e logo uma luz acendeu na sala e a janela ficou mais clara. Torcendo para que ela não olhasse pela janela, eu escutei sua voz:

- Quem é? – a voz era calma e suave.

Eu não tinha coragem de responder, até que porque se eu respondesse, ela não iria abrir a porta de jeito nenhum.

- Quem está aí? Pode responder? – ela perguntou e a voz dela já pegara um tom mais impaciente.

Sorri pequeno ao ouvi-la bufar alto e logo a porta se escancarou à minha frente e eu a vi.
Os olhos dela se arregalaram levemente ao me ver e seus lábios perfeitamente desenhados se crisparam. Os olhos que antes eram arrebatados por surpresa, ficaram agressivos e coléricos, e seu rosto que sempre fora tão claro como a cor branca, se coraram num vermelho rosado, de repente. Ela apertava os dedos que seguravam a porta e eu podia ver a força que ela aplicava ali, pois as pontas se tornaram brancas.

- O que você pensa que faz aqui? – perguntou com a voz dura e fria como gelo. Eu baixei os olhos, mas ao ver o volume de sua barriga que a camisola amarela transparecia, eu olhei para ela com firmeza.

- Estive te procurando há cinco meses praticamente. Tanto procurei, que encontrei.

- Pois você vai ter que voltar de onde você veio. – disse ela ríspida. – Eu não quero saber quanto tempo você está me procurando ou o que você fez pra me encontrar aqui. Eu apenas quero que você vá embora e me deixe em paz! – ela disse alto e eu fechei os olhos apertado.

- Você acha mesmo que eu vou sair daqui enquanto você está com raiva de mim e quando você está carregando dois filhos meus na barriga?

Ela arregalou mais os olhos e logo vi que sua mão livre tremia levemente.

- C-como você s-sabe que são gê-meos? – ela disse, gaguejando, e logo seus olhos ficaram mais mansos.

- Eu vi você naquela loja infantil. Eu estava passando ali e resolvi entrar pra comprar um sapatinho pro meu filho...

- Meu filho.

- NOSSO FILHO. – disse com uma firmeza que eu nunca havia tido na vida. – E quando eu estava olhando os sapatinhos eu ouvi a sua voz. – eu disse sorrindo mínimo. – Eu reconheceria a sua voz em qualquer lugar desse mundo. Onde quer que você esteja... Então eu ouvi você dizer que eram dois filhos. E a atendente confirmou.

Ela ficou parada me encarando e sua mão pousou na barriga meio saliente.

- Você me seguiu? – ela perguntou baixinho.

- Não. Te encontrei por acaso. Agora de lá do shopping para cá, eu te segui.

- Eu não quero falar com você, Zachary. Sai da minha casa. – ela gritou a última frase e apontou a rua. Eu neguei.

- Eu sei que eu não tenho direito algum em pedir alguma coisa pra você, mas você precisa me ouvir. Eu preciso te contar toda a verdade por trás daquela confusão.

- EU NÃO QUERO SABER! – ela gritou e seu rosto ficou mais vermelho. – A ÚNICA COISA QUE EU QUERO É QUE VOCÊ SUMA DA MINHA VIDA! VOCÊ NÃO TEM DIREITO ALGUM SOBRE MIM E NEM DE PEDIR NADA.

- POIS É AÍ QUE VOCÊ SE ENGANA! – eu gritei à altura e ela se calou, mas continuou com o olhar pesado. – EU SOU PAI DESSAS CRIANÇAS QUE VOCÊ ESTÁ ESPERANDO, SE ESQUECEU? VOCÊ NÃO ENGRAVIDOU SOZINHA!

- VOCÊ NÃO PENSOU EM MIM QUANDO ME ENGANOU! APENAS ME ENGANOU, SEM AO MENOS QUERER ME CONTAR A VERDADE!

- INICIALMENTE EU NÃO PENSEI MESMO! – ela ficou parada como se tomasse um choque. – EU APENAS TE ACHEI PERFEITA DEMAIS PRA NÃO FICAR COM VOCÊ!

- Sai da minha frente. – ela disse ameaçando bater a porta, mas eu a abri com força e entrei na casa dela, batendo a porta forte em seguida. – SAI DAQUI! EU NÃO TE AUTORIZEI ENTRAR AQUI!

- Você vai me ouvir. Nem que seja a última coisa que eu faça. Você tem que me ouvir.

- EU. NÃO. QUERO. !

- Mas vai ter que ouvir. – falei sentando no sofá dela e ela me olhou com misto de surpresa e irritação.

- Eu não te convidei para entrar, muito menos para sentar! – exclamou e gritou de novo. – SAI DAQUI AGORA!

- Para de escândalo e senta aí. Você sabe muito bem que você não pode passar nervoso. Uma hora a gente ia ter que conversar, Vanessa. Pare de ser desesperada e senta!

- Você mentiu pra mim, me traiu, me enganou e eu que estou desesperada? Do jeito que você está falando, parece que fui eu quem fiz tudo isso com você.

- Eu juro que eu vou te explicar tudo, mas você precisa parar de gritar e me ouvir.
Ela me encarou e algumas lágrimas desceram pelo rosto corado. Ela se sentou no sofá encolhendo as pernas e evitando me olhar, mas esperando uma explicação. Eu suspirei alto e olhei para seu rosto úmido, mas claramente irritado.

- Eu realmente era casado.

- Era ou é? – ela perguntou me desafiando.

- Era. – falei seco. – Tudo o que eu poderia fazer pra me libertar daquela mulher eu fiz. – dei uma pausa, mas vi que ela não ia me responder. – Tudo estava muito monótono entre nós... Eu não aguentava mais viver com ela, olhar pra ela, nem sequer tocá-la. Então aí eu tive aquele problema.

- Então o desejo pela sua mulher evaporou? Do nada?

- Não foi bem do nada. Eu apenas não conseguia mais ter nada com ela. Foi ficando mais forte a cada dia que passava. Eu não queria nada com ela, mas também não queria trair...

- Mas então o que você fez? Traiu do mesmo jeito! – ela exclamou e eu rolei os olhos.

- Deixa eu falar? – ela bufou e encostou as costas bruscamente no sofá e me olhou com a expressão irritada. – Eu estava desesperado porque eu queria resolver esse problema sem me envolver numa burocracia de divórcio e tudo o mais. Então eu chamei o Chris. Ele foi a primeira pessoa que veio na minha cabeça na hora que eu estava desesperado por ajuda. – suspirei me lembrando de tudo o que eu havia passado naquela época. – Depois que ele deu muita risada da minha cara, ele me passou o nome de um psicólogo. Era o seu antecessor, Dr. Robert Crowley. –ela ainda me lançava olhares inquisidores. – Eu marquei a consulta pensando que eu ia me consultar com ele, mas quando eu cheguei lá, a Sra. Lovett me disse que ele havia se aposentado e que você estava no lugar dele. – fiz uma pausa e então continuei. – Eu fiquei muito constrangido de ter que te contar tudo o que eu estava passando, mas a Sra. Lovett me garantiu que você era profissional, então eu relevei e fui no teu consultório. E aí você apareceu. – o rosto dela estava mais calmo e ela agora me observava com um pouco mais de interesse, mas não o bastante para me desculpar rapidamente. – E tudo aquilo que eu estava sentindo, todo aquele vazio de repente se dissipou. Eu encontrei em você a resposta para tudo. Eu fiquei muito a fim de você inicialmente pela abstinência, mas depois que a gente se encontrou pela segunda vez... Eu fiquei fissurado em você... Eu não conseguia mais parar de pensar em você, nem ao menos me concentrar no meu trabalho, na minha vida... Você sempre estava presente nos meus sonhos, nos meus pensamentos, em tudo à minha volta.

- Mas mesmo sentindo tudo isso, você não se deu ao trabalho de me contar a verdade. – ela disse seca. – Você simplesmente pensou em você mesmo e não me contou que era casado. Você mentiu, Zachary. Eu não me importo que você tenha mentido pr’aquela sua esposa irritante, isso pouco me interessa... Mas eu comecei a gostar de você. Eu comecei a amar você e você sabia muito bem disso e mesmo assim não me contou porcaria nenhuma!

- Eu ia contar, eu juro que ia! Eu apenas não sabia como fazer isso... Eu tinha medo de te perder! Eu nunca imaginava que ao entrar naquela droga de consultório eu iria encontrar a mulher da minha vida! Eu nunca imaginava que eu ia me apaixonar perdidamente por você! Vanessa, eu quero que você entenda mais do que tudo que EU TE AMO! Eu passei os piores meses da minha vida quando você sumiu, eu revirei a cidade inteira atrás de você, eu não conseguia trabalhar só de pensar que você estava longe. A única força que me fez ficar de pé foi por causa dessas crianças que você está esperando... Eu pensava que era só uma, mas agora eu sei que são duas, eu vou ter que trabalhar dobrado pra...

- Quem falou que você vai ter algum vínculo com essas crianças? – disse Vanessa colocando as mãos na cintura. – Quem te falou que eu quero você perto de mim?

- Vanessa, eu sei que eu errei, mas você não pode me afastar dos meus filhos dessa forma.

- Posso sim, tanto que estou morando aqui e bem longe de você. Eu realmente não sei porque que o destino foi colocar você no meu caminho agora, se eu estava muito bem sem a sua ajuda.

- VANESSA, PELO AMOR DE DEUS! – eu fiquei em pé olhando-a com os olhos úmidos. – Eu preciso de uma chance, eu te peço, uma única chance. Eu sei que você ainda me ama e me ama muito mais agora que está carregando dois frutos do nosso amor dentro do teu ventre. Pensa em como ia ser bom se nós voltássemos a ficar juntos pra criar os nossos filhos? Pensa em como tudo ia ser diferente!

- Eu não quero ser uma Melissa da vida, Zachary. Eu, infelizmente, não perdoo traição.

- Vanessa, eu fiz tudo isso por amar demais! Eu não estou conseguindo mais viver longe de você, eu estou definhando, será que você não percebe?

E então eu vi as lágrimas descerem pelo rosto dela com mais frequência. Ela olhou para a barriga e acariciou por um momento, ainda chorando.

- Você tem que me dar uma prova muito maior do que palavras, Zachary. – ela disse me olhando e seu rosto estava todo vermelho e as lágrimas se acumulavam como um rio. – Um dia eu acreditei nas suas palavras e olha onde nós estamos. Eu perco a confiança muito rápido e eu realmente estou tentando confiar em você novamente... Mas não consigo. Infelizmente, eu não consigo. – eu senti meu coração despencar. – Eu te amo e sempre te amei. Cada vez que essas crianças crescem mais aqui na minha barriga, eu choro de saudade, de dor, de tristeza... A coisa que eu mais queria no mundo era passar a minha vida inteira do seu lado, curtindo a gravidez, curtindo os nossos bebês quando eles nascerem... Mas você mentiu. – ela disse se levantando. – Eu não vou deixar de autorizar você a vir visitar os seus filhos. Eles são tão seus quanto meus. Mas pra me reconquistar, você vai ter que me provar de uma outra maneira que me convença. Que me dê a certeza de que eu não vou ser enganada de novo. – ela parou diante da porta e eu não consegui mais frear as lágrimas. – Agora, por favor, sai da minha casa. Eu passei muito nervoso e meu médico me aconselhou deixar as emoções de lado. Pense nos seus filhos e dá licença, por favor.


Levantei sentindo a derrota me encobrir e caminhei lentamente até a porta. Ela abriu e quando eu fui saindo, fui empurrado para dentro novamente por uma multidão.

- Mas o que está acontecendo aqui? – perguntou Vanessa visivelmente contrariada.
Chris, Alex, Chace, Stacy, Annie e Claire nos encaravam e então Stacy tomou a frente.

- Vocês dois conversaram e não chegaram à lugar algum... Será que podemos nos sentar e conversar de uma maneira mais apaziguadora e decisiva?

Vanessa arregalou os olhos para todos e ambos a fitavam, mas fitavam com os olhos na barriga dela.

- Ah, meu Deus! – disse Claire tampando a boca com a mão. – O meu sobrinho está tão grande! Nessa, eu posso tocar?

Vanessa arregalou os olhos ainda assustada pelo choque, mas, pela primeira vez naquela noite, ela sorriu tão linda e verdadeiramente que tudo parecia até ter voltado ao normal.

- Ele está grande, mas tem que dividir um espaço com o irmãozinho dele. – disse ela colocando as duas mãos sobre a barriga. Todos a encararam com surpresa, menos Chace que sorria.

- SÃO GÊMEOS? – perguntou Alex e Chris

- Gêmeos, Nessa? Eu não acredito – disse Stacy e logo ela e Claire foram abraçar Vanessa.
Ambas choravam e falavam coisas que eu não entendia nadinha; Alex e Chris me encaravam e eu sorria também e logo fui abraçado pelos dois. A única pessoa que permanecia impassível era Annie. Depois de abraçar os caras, a olhei e ela olhava a cena com os olhos semicerrados.

- O que essa garota tem? – sussurrei para os caras e eles deram de ombros.

Logo as mãos desesperadas de Claire e Stacy acariciavam a barriga meio saliente de Vanessa e elas faziam inúmeras perguntas do tipo “como você descobriu”, “como você reagiu à notícia”, mas a pergunta mais inteligente veio à seguir.

- Como foi que você saiu sem avisar nada pra ninguém? – perguntou Annie encarando Vanessa.
Ela mordeu o lábio inferior, mas quando seu olhar pousou em mim, seu semblante mudou rapidamente da água para o vinho.

- Suponho que vocês saibam tudo o que aconteceu. Eu não queria contar nada para vocês. Eu senti muita vergonha de tudo o que aconteceu... Senti vergonha de ter me entregado tão profundamente à um cara casado. Eu... Eu não tinha coragem de encarar ninguém nos olhos. Sem falar da raiva que eu estava sentindo.

- Nós sabíamos que ele estava traindo a esposa. – Vanessa arregalou os olhos para Chace e ele deu um sorriso torto. – Nós soubemos tarde demais, somente quando ele estava gostando de você. – Vanessa arqueou as sobrancelhas e ele sorriu. – É claro que a gente sabe que ele gosta de você. Não só gosta como ama.

- Nós somos amigos do Zac há muito tempo. Conhecemos ele desde o tempo que era solteiro. Melissa foi um encosto que passou na vida dele. – disse Chris. – Nós todos tínhamos muita dificuldade de nos enturmar com Melissa. Ela pensava que nós éramos mal caminho pro rapaz aqui. – ele disse dando tapinhas nas minhas costas.

Vanessa abriu a boca para dizer algo, mas Alex foi mais rápido.

- Então ela começou a querer proibir a gente de andar com o Zachary – disse Alex de cara fechada. – Ela era um verdadeiro pé no saco. Então, a gente percebia que Zachary não estava mais querendo ela tanto como antes. A gente avisou pra ele não casar com ela, mas ele casou por insistência dela e porque achava que estava realmente apaixonado.

- Então depois que ele jogou tudo pro alto, – continuou Chris – ele veio pedir minha ajuda pra tentar resolver um pequeno problema com...

- Essa parte eu conheço. – disse Vanessa dando um sorriso pequeno.

- E então ele conheceu você. – disse Chace. – Em nenhum dos anos que eu o vi se relacionar com diferentes mulheres, eu nunca o vi gostar tanto de uma garota como gostava de você. Zachary quase nunca se entregava à uma paixão, ele se entregou à Melissa porque eles iam se casar... Mas mesmo assim ele se enganou com ela. Mas com você não. Ele se entregou na hora.

- O cara não parava de falar de você. – disse Chris. – Era Vanessa pra cá, Vanessa pra lá... Ele estava ficando doido.

- Mas ele tem toda a razão. – disse Alex. – Olha o mulherão que ele arranjou!

- CALA A BOCA! – eu e Annie gritamos ao mesmo tempo, mas Alex ficou surpreso e encarou Annie com o olhar travesso. Era claro que ela deu uma puta bandeira agora.

Vanessa sorriu de leve e então Stacy tomou a fala.

- Quando eu soube de tudo, eu fiquei louca da vida. Na verdade, nós três ficamos. Mas a gente acompanhou tudo de perto, Nessa. Você sabe que eu sou desconfiada que nem você em tudo o que se diz de relacionamento... Mas eu vi o quanto Zachary gosta de você... O quanto ele quer ficar com você, o quanto ele quer ser pai. A gente sabe que isso é tudo o que você sempre quis. – agora as lágrimas banhavam o rosto de Vanessa por completo. Ela sentou numa poltrona e começou a chorar baixo. – A gente quer mais do que tudo ver você feliz. – disse Stacy ajoelhando em frente à Vanessa. – Você acha que entregaríamos você pra um malandro, safado qualquer? Claro que não.

Vanessa levantou os olhos para Stacy e sorriu. Logo Claire veio e se ajoelhou também.

- Lembra quando a gente estava no segundo ano do colegial e você me falou que Max Wermann não prestava? Lembra que eu era uma cabeça-dura que sempre ia atrás dele enquanto você dizia pra mim: “Para, Clair. Ele não te merece. Ele é um safado.” – Vanessa sorriu, certamente se lembrando. – Eu te escutei e me livrei de uma. E hoje eu posso dizer que eu sou muito feliz ao lado de uma pessoa muito especial. – nessa hora Chace teve uma crise de tosse tão forte que Vanessa teve que mostrar a cozinha para ele tomar um pouco d’água. – Você acha que depois de tudo o que você fez por mim, toda a ajuda em relacionamentos... Acha mesmo que eu estou aqui dizendo que oZachary te ama à toa? Com certeza não. Eu estou aqui te dizendo, com toda a sinceridade do mundo, amiga... Dá uma chance pra ele. Ele errou, mas ele já pagou muito caro pelo que ele fez. Vocês dois merecem uma chance para serem felizes.

E então Annie chegou, segurando Vanessa pelas mãos e levantando-a. Logo, ela tocou na barriga de Vanessa e deu um sorriso tão amigo, tão acolhedor que eu tive que piscar algumas vezes pra crer que Annie estava agindo daquela forma tão amável.

- Você deve imaginar que quando eu descobri toda essa história, eu fiquei louca da vida com esse cara, não é? – Vanessa sorriu alto, certamente imaginando a reação da amiga. – Você sabe que a pessoa tem que realmente provar que está falando a verdade à ponto de eu acreditar. – eu prestei atenção em Annie e senti meu coração bater mais forte. – E eu acreditei nele. Em todas as palavras que ele disse. E acreditei mais ainda quando vi o quanto ele estava sofrendo por você ter sumido, grávida, sem ter deixado pista alguma. Ele ficou desnorteado sem você, ele não sabia mais o que era viver. Ele só saía pra trabalhar porque ele sabia que teria uma mulher e um filho para sustentar. Era isso que deixava ele de pé. Ele te ama e eu sei que você também o ama. Pensa em como vocês vão ser felizes quando essas crianças nascerem. Vanessa, você não percebe? São gêmeos. Isso deixa vocês mais do que ligados um ao outro. Uma criança já é um laço eterno, imagine duas? – Annie apertou mais ainda as mãos de Vanessa. – Se você não recomeçar a sua vida agora, amanhã pode ser tarde demais. Não deixe a sua felicidade bater na sua porta e ir embora. Ele errou, mas se arrependeu e eu tenho certeza que ele não vai cometer o mesmo erro. Eu acredito na sua vida e acredito na sua felicidade.

- Mas a decisão é toda sua. – disse Stacy com os olhos vermelhos. – Nós não podemos interferir no que você decidir. Apenas queremos que você pense sozinha.

- Nós vamos embora agora. – disse Claire abraçando Vanessa fortemente. – Queremos que você pense o mais rápido que puder. Estaremos aguardando a sua resposta.

- NÃO! – eu gritei e elas me olharam feio. – E SE ELA FUGIR DE NOVO? EU NÃO QUERO PASSAR POR TODO AQUELE SOFRIMENTO NOVAMEN...

- Ela tem que decidir o que ela quer, Zachary. – disse Annie firmemente. – Estourou uma bomba agora bem nas mãos dela. Amanhã você nos liga dando notícias? – Vanessa hesitou, mas assentiu. – Então estamos indo. Se você não ligar, a gente te encontra nem que você tenha ido para o Japão, entendeu?

Vanessa sorriu e então todos se despediram dela. Mas quando chegou a minha vez ela apenas ficou parada. Dei um “tchau” desanimado para ela e saí da casa entrando logo no carro de Chace.

Eu sentia nervoso, irritação, mas ao mesmo tempo eu sentia fiapos de esperança surgir em meu peito. Ela havia ficado sensibilizada. E eu não tinha nem palavras para agradecer a todos pelo apoio que eles deram esta noite a nós dois.

+++


+++

 Estou tão feliz que vocês estejam gostando da história.
E preparem os hearts de vocês.
Os próximos capítulos prometem muitas emoções!!!
Até mais,anjos ♥♥♥

7 comentários:

  1. Aiiiiiiiii isso ta demais pro meu pobre coraçãozinho!!! Eu estou amandoooo cada vez mais!!
    Achei lindo a atitude dos amigos do Zac e da Vanessa...
    Espero muito q ela mude de ideia!! Esperando ansiosamente pro próximo capítulo pra descobrir a resposta da Vanessa!!
    Posta maais pleaseee
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Aiiiiiiiii isso ta demais pro meu pobre coraçãozinho!!! Eu estou amandoooo cada vez mais!!
    Achei lindo a atitude dos amigos do Zac e da Vanessa...
    Espero muito q ela mude de ideia!! Esperando ansiosamente pro próximo capítulo pra descobrir a resposta da Vanessa!!
    Posta maais pleaseee
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. “Preparem os hearts de vocês” como assim?? Como eu posso me emocionar mais do que já estou emocionada??? Como?? Meu deus... Essa fic é muito Foda! Toda vez que leio um capitulo fico a UM MILHÃO por que né? Agora me diz que ela vai perdoar ele, que vai ter Zanessa siim e vai ter muito, me diz amiga. Pelo amor, eu quero o proximo capitulo pra semana passada hein? Continuee ❤️❤️❤️

    ResponderExcluir
  4. Aah estou tão emocionada que chorei horrores aqui. Posta mais por favor a fic ta perfeitaaaa e estou doida para saber a resposta da Vane e espero que ela perdoe o Zac ele já sofreu muito pelo erro dele. Bjossss posta maisss

    ResponderExcluir
  5. Como vc me deixa curiosa assim Rafaela? Socorroooooo!
    Tenho certeza que a Nessa vai perdoar o Zac, ela tem que perdoar!
    "olha o mulherão que ele arrumou!" O Alex é de mais hahahahaha
    Continua logo Rafa ❤️
    Bjoooos

    ResponderExcluir
  6. Ah ate a annie apoiou o Zac eles tem q ficar juntos assim meu core n aguenta posta mais xoxo

    ResponderExcluir
  7. Ah ate a annie apoiou o Zac eles tem q ficar juntos assim meu core n aguenta posta mais xoxo

    ResponderExcluir