28 de abril de 2015

Nosso destino 6

Olhei para Zac que parecia desiludido e para Alex, que estava furioso, e o segui apara fora do quarto. Fomos até o lado de fora do hospital, onde havia um jardim e nos sentamos em um banquinho.

-Alex, olha...

-Eu quero a verdade Vanessa. Vocês realmente se beijaram?

-Alex... Eu... - ele me olhou de cara feia e eu apenas suspirei pesadamente- Sim... Nos beijamos... Mas Alex... Eu não queria te trair. Foi coisa do momento.

-Coisa do momento Vanessa? Faça-me um favor, né?!

-Você sabe que eu nunca deixei de gostar do Zac. E quando o vi ali, com minha filha, eu... Esqueci-me de tudo.  Não posso fingir que não estou mexida com isso, porque estaria mentindo. Alex, eu gosto do Zac e ele de mim...

-Não precisa nem terminar Vanessa. Eu já entendi. Quer terminar comigo não é?!

-Eu não queria que fosse assim... Mas... Não tem outro jeito. Não posso continuar de iludindo com algo que não tem futuro.

Meus olhos já estavam lacrimejando. Eu gostava de Alex, mas como amigo. E não queria perde-lo.

-Tudo bem, Nessa. Eu entendo. Pelo menos foi sincera comigo. Eu... er... Desejo que você seja feliz com ele e que... E deem uma família de verdade para a Zoe.

-Não quero que você se afaste de nós, Alex. Nós gostamos de você e isso não vai mudar.

Aproximei-me do loiro e o abracei. Alex me abraçou forte e beijou meus cabelos.

-Bom... Então eu vou indo. Se precisar de qualquer coisa sabe onde me encontrar. E me liga quando a Zoe for pra casa.

Assenti com a cabeça e beijei sua bochecha.

-Obrigada por entender, Lex.

-Quando gostamos de alguém, o mínimo que podemos desejar é que esse alguém seja feliz.  E eu sei que o Zac te fará feliz, afinal, o que vocês têm é real e é verdadeiro. É um amor que não se explica, apenas se sente.


Fiquei sem palavras. Senti um beijo em meus lábios. Nosso último beijo. Fiquei paralisada e só me dei conta de que estava sozinha quando ouvi o motor do carro de Alex sendo ligado, para logo o carro dar partida e sumir ao virar a rua.


14 de abril de 2015

Nosso destino 5

#Por Zachary

Sentir seus lábios nos meus de novo foi a mesma coisa de me dar a vida novamente. Eu estava sim confuso, mas não mais do que estava feliz por ter ali minha Nessa. Zoe?! Bom... Desde o primeiro instante que coloquei meus olhos nela senti algo diferente. Um amor nunca sentido antes. Amor paternal. Não entendo bem, mas sei que Zoe é minha filha. Temos os mesmos traços, os mesmos olhos. É minha miniatura na versão feminina.

Apesar de querer saber de tudo eu não queria estragar o momento. Estar ali com minhas duas princesas era algo mágico e único. Mas o trabalho me chama e tive que me afastar.

-Nessa, preciso ir ver os outros pacientes. Daqui a pouco volto aqui para ver essa pequena!

-Promete não demorar?- ela disse fazendo manha e aconchegando o rosto em meu peito.

-Prometo meu amor! Logo, logo estarei aqui.



Beijei-a levemente e me voltei para Zoe. Esta matinha nos lábios um sorriso lindo. Sorri para ela e depositei um pequeno beijo em sua testa.

-Papai já volta, princesa!

Ela me mandou um beijinho e saí do quarto sorrindo. Agora sim eu me sentia completo! Agora sim eu tinha duas razões a mais para viver.

#Por Vanessa

Assim que Zac saiu, olhei Zoe e ela parecia estar nas nuvens.

-Que carinha de sapeca é essa, hein amor?!

-Mamãe, eu agola tenho meu papai e ele me ama!

-Só espero que você não largue a mamãe, senão fico com ciúmes.

Fiz um biquinho e ela deu uma gargalhada. Há muito tempo Zoe não sorria assim. No mesmo momento Alex entrou no quarto e veio até nós.

-Posso saber do que minhas duas lindas estão rindo?!

-Eu conheci meu papai, tio Alex!

Engoli em seco e olhei para Alex que me olhava esperando uma explicação.

-Precisamos conversar, mas não vai ser agora e muito menos aqui!

Eu disse seca, para mostrar que o assunto era sério.

-Vanessa, quero uma explicação e quero agora. Como assim Zoe conheceu o pai?

-Alex, aqui não! Não é o lugar e nem o momento certo!

-Não quero saber, Vanessa. Eu tenho direito!

Alex alterou a voz e quando fui responder a porta se abriu e Zac apareceu novamente.

-PAPAI!!!

Zoe gritou e Alex olhou para Zac. Seus olhos ficaram confusos e ele intercalava o olhar entre minha, Zac e Zoe.

-O que está havendo aqui? Aqui é um hospital, precisam manter silêncio!

-Não biga com a mamãe, papai. Foi o tio Alex que falou alto!

Agora sim eu estava ferrada! Zachary olhou para Alex e Alex para Zac. Ficaram se encarando e eu decidi intervir.

-Er... Zac este é Alex, meu... Namorado. E Alex, esse é o Zac... Pai de Zoe!

Zac/Alex: Namorado?/Pai?

Assenti para ambos e me sentei perto da minha filha. Zac me olhou triste e suplicante, como se não acreditasse no que eu havia dito.

-Nessa... Como assim seu namorado? E nós? Como ficamos? Aquele beijo aqui não representou nada para você?

Vi que ele não falou por mal, mas isso atiçou mais ainda a raiva de Alex.

-Beijo Vanessa? Enquanto eu estava resolvendo alguns assuntos para a internação de Zoe você estava beijando esse idiota?

-Não foi bem assim, Alex... Olhe, eu...


-Acho melhor conversarem lá fora. Zoe precisa descansar e aqui não é um lugar apropriado para discussões. –Zac disse abrindo a porta do quarto.

+++
Tcharan!!! Aqui está mais um capítulo...Sei que tá uma merdinha, mas foi de coração!!! Meninas, eu estava pensando aqui em,na próxima fic, contar a história de Zanessa...Sabe dos tempos de HSM...O que vocês acham??? Deixem suas opiniões...I love you,kisses

7 de abril de 2015

Nosso destino 4

#Por Vanessa

Ouvi aquela voz grossa, mas ao mesmo tempo aveludada e senti minha cabeça girar. Não podia ser verdade. Não podia ser o Zac. Não o meu Zac! Com medo do que estava por vir, me virei lentamente e vi aqueles olhos azuis que há anos não via. Ao mesmo tempo que eu estava com medo, uma felicidade enorme cresceu dentro de mim.

Eu ainda amava Zac. E bem no fundo do meu coração, eu ainda tinha esperança de um possível reencontro, de uma possível vida a dois. Como devia ser!

-Zac... Oh, meu Deus,Zac!!!

Levantei-me da cadeira e corri até Zachary que veio ao meu encontro sorrindo e derramando algumas lágrimas. Quando nossos corpos se encontraram em um abraço apertado, um choque transcorreu em meu interior e esqueci-me do mundo lá fora. Esqueci-me dos problemas. Esqueci Alex.

Senti suas mãos me agarrando forte na cintura e seu rosto em meu pescoço. Me arrepiei quando seus lábios tocaram o local numa carícia leve.

-Nessa... Não acredito que você está aqui. Meu amor...

Não pude responder. Zachary colou nossos lábios e o resto de sanidade que eu tinha se esvaiu  e deixei-me levar pela sensação única e perfeita que era beijá-lo.

-Mamãe...

Ouvi a voz chorosa da minha pequena e me afastei de Zac, indo até ela.

-O que foi minha princesa? Dói algo?

-Mamãe, eu vi o papai! Ele cuidou de mim mamãe.

Engoli em seco. Zachary estava ali. Zoe estava ali. Ela sabia do pai, mas ele nem sonhava com a filha.

-Meu amorzinho, depois conversamos sobre isso, ok?! Agora você precisa descansar...

-Eu quelo o papai... Chama o papai, mamãe!

-Zoe...

Senti Zac se aproximar e logo Zoe parou de resmungar e abriu um enorme sorriso.

-Papai!

Ela esticou os pequenos bracinhos para Zac e ele a olhou sorrindo. Um olhar quase que paternal. Zac se aproximou de Zoe e a abraçou. Olhei aquele momento e me emocionei. Duas lágrimas caíram de meus olhos e notei que Zac percebeu. Ele estendeu os braços e me puxou para dentro do abraço. Ali me senti completa. Meus dois amores estavam ali. As razões da minha vida estavam ali.

Zachary beijou o topo de minha cabeça e olhou em meus olhos como se pudesse ler tudo o que se passava em minha mente. Ele olhou para Zoe que mantinha os olhos fechados e a cabeça em seu peito e sorriu. Ele sabia que ela era sua. Sabia que Zoe que era nossa filha.

-Zoe...

Ele sussurrou seu nome e minha pequena o fitou.

-Você sabia que o papai te ama muito?!

Minha bebê o olhou espantada e ao mesmo tempo fascinada.  Ela parecia não acreditar no que ouvia.

-Mamãe, você ouviu?! O papai me ama! Ele disse que me ama!

Ela ergueu os bracinhos que estavam ligados ao soro e deu uma gargalhada. Seus olhos brilhavam. Seu sorriso era o mais sincero de todos.

-Não amo só você,bebê, mas também a mamãe!

Por essa eu não esperava. Zachary disse que me amava olhando fixamente em meus olhos. Senti os batimentos do meu coração acelerarem e as lágrimas preencherem meus olhos. Ele ainda me amava.

-Eu também amo você, Zac! E não importa quanto tempo passe, e muito menos se você estava longe, isso nunca mudou e nunca mudará!


Ele sorriu e colou nossos lábios jurando, em palavras mudas, que nunca mais nos separaríamos.


6 de abril de 2015

Nosso destino 3

 #Por Zachary

Por ser muito inteligente consegui me formar rapidamente. Sim, meu QI é bastante elevado, por isso em apenas três anos consegui me formar em neurocirurgia e em pediatria. Num certo dia, recebi a notícia de que eu seria transferido para a Califórnia. Fiquei atônito com a notícia. Será que Vanessa ainda estaria lá?! Será que eu a reencontraria?! Nesse momento infinitas perguntas surgiram em minha mente.

E assim se passou o tempo e me mudei para a Califórnia. Comecei a trabalhar em um hospital particular e atendia nas duas áreas em que me formei. Era sexta feira e eu estava de plantão. Às onze da noite fui informado sobre uma menina de três anos que estava muito mal. Mandei levá-la ao meu consultório e um rapaz loiro e alto estava com ela.

-Boa noite, sou o doutor Efron!

-Sou Alex. Por favor, doutor. Olhe Zoe, ela está com febre alta, tosse muito e sente falta de ar.

-Onde está a mãe dela?

-Lá fora preenchendo a ficha dela.

-Vou examiná-la, mas gostaria que o senhor me esperasse na recepção. Creio que ela esteja com pneumonia.

-Tudo bem. Com licença.

O rapaz saiu e me dirigi à menina. Tão pequena e linda. Parecia uma princesa. No momento em que meus olhos se colocaram sobre ela senti uma sensação de déjà vu. Foi entranho. Era como se eu conhecesse a pequena princesa que estava ali. Notei que ela chorava e tossia muito e meu coração se apertou.

-Ei pequenina. Não precisa chorar. O tio Zac vai te examinar e você vai ficar boa logo, logo.

Acariciei seus longos cabelos loiros e ondulados e ela me olhou chorando. Quando seus grandes olhos azuis bateram em mim, ela abriu a boca espantada.

-Papai?

-Não, pequena. Sou seu médico. Seu novo amiguinho. Vou cuidar de você! Seu papai está lá fora.

-Não, papai, é você sim! Papai!!!

Ela levantou ainda tossindo e me abraçou com força. Senti meu coração pular várias batidas e um sentimento paternal se aflorou em mim. Isso estava estranho.

-Ei bonequinha, tio Zac vai fazer você dormir. Mas não precisa ter medo, é só uma picadinha. Você nem vai sentir.

Peguei seu pequeno bracinho e fiz todo o procedimento necessário antes de fincar a agulha em sua veia. Ela começou a chorar e me olhou feio.

-Papai, puque você tá fazendo isso comigo?! Tá dodói.

-Lindinha, é só para você dormir. Olha, já acabou. Viu?! Agora deita aqui para o tio Zac te examinar.

Ela fez o que mandei e ficou me olhando com carinho. O que era aquilo, meu Deus?! Por que ela estava me chamando de pai? Aos poucos, a garotinha foi ficando mole e acabou dormindo. Constatei a suspeita e tive de interná-la. Sua pneumonia era grave.

Após fazer todo o procedimento de internação, me retirei do quarto da menina, deixando-a com o rapaz loiro. Fui atender outros pacientes e uma hora depois voltei ao quarto para aplicar-lhe medicamentos. Tamanha foi minha surpresa ao encontrar uma morena dos cabelos negros e repletos de cachos acariciando o rostinho da pequena Zoe.  Perdi o ar. Meu coração parou.


- Nessa. – sussurrei fracamente. 

+++

Oi amores!!! Espero que tenham gostado!!! O próximo capítulo já está prontinho...Então comentem para que eu poste logo,rsrs

E antes de me despedir,queria desejar a vocês um Feliz Páscoa (um pouquinho atrasado,mas é de coração)!!! Que o coelhinho não lhes tragam apenas ovos e chocolates,mas também saúde, paz, amor e muita felicidade!!! 

Páscoa... ressurreição! A mudança... a transformação... o renascer!


3 de abril de 2015

Nosso destino 2

#Por Vanessa

Há três anos deixei que a única pessoa que me importava fosse embora. Perdi meu melhor amigo, meu namorado, meu amor. Zachary Efron. Ele foi meu primeiro namorado. Foi quem me tirou da solidão. Eu era uma garota perdida.  Depois que perdi meus pais, me afundei nas drogas e me fechei em meu próprio mundo. Zac me ajudou. Me salvou de mim mesma. Com ele voltei a ter uma vida. Consegui me socializar com as pessoas,até me tornei popular entres elas. Quando Zac Efron entrou em minha vida, esta deu um giro de 360° e mudou completamente.

Começamos a namorar. Ele era o namorado perfeito. Era o cara que eu queria me casar e formar uma família. Zac era o tipo de cara que me completava por inteiro, que me fazia feliz só de respirar. E bom... Queria que ele fosse o único homem da minha vida, mas não deu.

Um ano depois de nos formarmos, Zac foi aceito na universidade de Londres. Seu sonho sempre foi ser um neurocirurgião qualificado e a oportunidade bateu em sua porta. Como eu poderia ser egoísta a ponto de fazê-la desistir de tudo por mim? Isso seria injusto, levando em conta que eu devia tudo ao Zac. E ele merecia ser feliz e realizar seus sonhos.

Quando me contou a notícia, fiquei sem chão. Afinal, Zac era a única coisa que eu tinha e dali a poucos meses não o teria mais. Mas tive que fingir estar bem. Eu tinha que ficar bem. Por eles... Sim, por eles!

Flashback

No dia se sua despedida, quando seu voo foi anunciado senti meu coração parar de bater. O pior momento havia chegado. Zachary iria partir. Metade de meu coração iria junto. Agarrei-me ao seu corpo com todas as forças e comecei a chorar. Era difícil abrir mão da própria felicidade para ver quem você ama feliz.  Aproveitei ao máximo o calor de seu corpo junto ao meu. Seu cheiro. Seu gosto. Seu abraço. Seu olhar. Seu beijo.

-Ei Nessa... Por favor, amor. Não faz isso comigo. Já está sendo doloroso demais!  Me prometa que vai ficar bem, princesa. Me promete.

Ele disse me olhando com um pesar nos olhos. Ele estava sofrendo por me deixar, mas não tanto quanto eu estava sofrendo por deixá-lo ir.

-Vou ficar... Prometo que vamos ficar bem.

Ele assentiu e me beijou. Nosso último contato. Nosso último momento, nosso último beijo.

Flashback

Doeu tanto. E hoje, toda vez que olho para meu pequeno tesouro, Zoe,lembro-me dele. Zoe - que significada vida- nasceu sete meses após a partida de Zac. Ela é a cópia perfeita do pai na versão feminina. Pele clara, olhos azuis, cabelos castanhos claros com mechas loiras. Porém, seu nariz, boca e queixo são idênticos aos meus. E também os seus cabelos, longos e ondulados. Minha pequena agora está com quase três anos e é a razão para que eu continue lutando todos os dias.

Sou uma renomeada professora de ballet aqui na Califórnia e consegui seguir em frente, mesmo sem Zac. Ele merecia isso. Depois de tudo o que ele fez por mim, o mínimo que eu poderia fazer era continuar sendo uma mulher guerreira e determinada. 

Durante esse tempo, tive alguns namorados passageiros, até que conheci Alex. Estamos juntos até hoje e ele sabe que ainda amo Zac e que sempre vou amar. Mas prometi a ele que faria de tudo para amá-lo. Ele é bom demais para mim! Zoe sabe que Alex não é seu pai. Sabe que é Zac, e que ele foi embora para salvar a vida das pessoas.

Flashback

-Mas ele nunca vai voltar mamãe?!

-Oh meu amor... A mamãe não sabe. Papai trabalha muito e não pode mais voltar. Mas ele te ama, princesa. Assim como o tio Alex ama você.

-Eu quelia ver meu papai xó uma vez, mamãe. Uma vez!

Flashback

Apesar de já ter mostrado uma fotografia de Zac para Zoe, eu gostaria tanto de realizar seu sonho de vê-lo pessoalmente. Mas não podia. Zachary nem imagina que tem uma filha. E eu não tenho a mínima ideia de onde encontrá-lo. Os dias foram se passando, Zoe começou a passar mal e teve que ser levada as pressas para um hospital.

Pneumonia. Minha pequena estava com uma grave pneumonia. Medo. A única coisa que se passava em minha cabeça era medo. Medo de perder a pessoa mais importante da minha vida.