20 de julho de 2014

É só você que me importa

Olá! Sou Vanessa Hudgens, tenho 17 anos e estou no terceiro ano do ensino médio. Vivo em Londres desde sempre e nunca tive vontade de sair daqui. Sou uma garota calada, solitária, estilo “forever alone”. Não tenho irmãos e irmãs, por isso vivo apenas com meus pais, Gregory e Gina Hudgens.  Sou uma ótima aluna e minhas notas são incrivelmente altas. Meu sonho é estudar gastronomia. Não querendo me gabar,mas tenho vários dotes culinários. Meus pais são donos de um restaurante de comida japonesa aqui em Londres, é bem simples e pequeno, mas agrada uma grande clientela. Todos os dias quando chego da escola trabalho ajudando no restaurante. Por opção, preferi ficar na parte de dentro, cozinhando. Mas além de típicas comidas japonesas, sei cozinhar de tudo e amo o que faço. Por isso quero estudar gastronomia e quem sabe, num futuro próximo, abrir um restaurante só meu?!

Mas voltando... Na escola, minha aula preferida é a de culinária, que é frequentada por poucas pessoas, afinal, as meninas de lá são umas patricinhas que só se importam com padrões de beleza e os meninos só sabem jogar futebol.  Todos eles me excluem de tudo quanto é evento da escola. Tratam-me como se u fosse um nada. Já me acostumei com tudo isso, só lamento não ter coragem para me defender e não ter um amigo se quer para poder compartilhar o que sinto.

Tenho mais ou menos 1,60 de altura, sou magra, mas tenho um corpo curvilíneo.  Tenho olhos castanhos escuros e cabelos castanhos, meio aloirados, devido às mechas que sempre faço. Costumo usar roupas simples. Um jeans básico, com alguma camiseta e um blazer, e nos pés sapatilhas estilo boneca. Não chamo atenção de ninguém, e prefiro que seja assim, porque quando chamo sou humilhada por todos.

Depois de um longo dia de aula, cheguei em casa e mamãe me disse que tínhamos vizinhos novos e que eu não teria de trabalhar no restaurante, pois havia pouco movimento. Eu apenas assenti e subi para o meu quarto. Retirei todas as minhas roupas e me enfiei debaixo do chuveiro, sentindo aquela água quente cair sobre meu corpo, me relaxando. Fiquei uns dez minutos ali, e só saí quando minha pele já estava ficando enrugada. Me enxuguei e vesti uma blusa rosa de alcinhas, um short verde pistache e uma sandália rasteira branca. Sequei meu cabelo e fiz uma trança lateral com alguns fios soltos.


Depois de pronta peguei meu IPhone e desci as escadas. Não havia mais ninguém em casa, provavelmente todos já haviam ido para o restaurante. Abri a porta da frente e saí de dentro de casa, me sentando na pequena escada que havia em frente a porta. Coloquei a playlist do Ed Sheeran para tocar e logo me perdi em suas melodias, fechando os olhos e cantarolando baixinho as músicas que eu tanto amava.

O tempo se passou, na verdade eu perdi a noção dele. E só voltei a tona quando senti alguém cutucar meu ombro. Abri os olhos e olhei para a pessoa que me cutucava. Me deparei com um garoto alto, pele morena clara, cabelos loiros e olhos azuis. Ele me olhava com um olhar divertido e um sorriso brincalhão nos lábios. Fiquei sem graça, e tirei os fones do ouvido e logo me levantei.

-Oi! Me desculpa interromper, mas é... Primeiro, meu nome é Zac.  Acabei de me mudar para cá, e bom, como não tá tudo arrumado ainda, e minha família quer ir a um restaurante para almoçar e bom... Eu pensei que... Talvez você pudesse me dizer onde tem um restaurante aqui por perto.

Ele estava todo atrapalhado, e enquanto dizia coçava a nuca, mostrando seu nervosismo.

-Hum, claro! Bom... Tem um a duas quadras daqui. É dos meus pais. Mas é de comida japonesa. Tem problema?

-Claro que não! Nós amamos comida japonesa! Será que... Er... Como você se chama mesmo?

-Vanessa.Vanessa Hudgens.

-Então Vanessa. Será que é pedir demais para que você possa nos acompanhar até o restaurante?

-Bom... Eu... Não sei... Quer dizer, nem conheço você direito e...

-Tudo bem. Eu entendo. Er... Obrigada, Vanessa!

Ele parecia um pouco desconfortável, talvez porque esperasse que eu lhe acompanhasse até o restaurante. Ele estava saindo, quando tomei uma decisão totalmente repentina.

-Ei Zac, espera! Eu... Eu vou com vocês para mostrar onde é. Mas antes... preciso trocar de roupa, você pode esperar?

-Claro. Pode ir! Eu te espero!

Dei um leve sorriso e subi para meu quarto. Apenas tirei meu short e vesti uma calça jeans e coloquei um casaquinho por cima da blusa, pois estava um dia frio em Londres. Tranquei a porta e vi Zac me esperando.

-Vamos?

Ele me perguntou dando um sorriso de lado.

-Claro.

***

-Pessoal essa é a nossa vizinha Vanessa. Ela vai nos levar ao restaurante de seus pais. Vanessa, esses são meus pais, Starla e David Efron, meu irmão Dylan e minha prima Ashley.

- Prazer!

Eu disse meio acanhada.

-O prazer é nosso, querida, e nos desculpa por lhe incomodar, mas nós não conhecemos Londres ainda e não comemos desde o café da manhã.

Ela disse sorrindo docemente.

-Não há problemas, senhora Efron.

***

-Filha, o que você tá fazendo aqui? Eu disse que hoje você não precisava vir trabalhar.

-Eu sei mamãe, mas vim trazer nossos novos vizinhos aqui.

-É mesmo? Onde eles estão?

-Naquela mesa ali. - eu disse apontando para uma mesa ao lado da janela.

***

-Olá, boa tarde! Sou Gina, a dona do restaurante e vizinha de vocês!

-Olá, sou Starla, esses são David, meu marido, Zac e Dylan, meus filhos e Ashley, minha sobrinha. É um prazer conhecê-la.

-O prazer é meu, querida.

-Espero que não tenha ficado chateada por nós termo trago sua filha conosco. Mas como acabamos de nos mudar, as coisas ainda não estão prontas e precisávamos comer.

-Claro que não. Tudo bem! Bom, fiquem a vontade. Vou chamar um garçom para atendê-los. Vanessa, minha filha, me acompanhe, sim?

-Claro, mamãe. Com licença pessoal.

***

- Filha, já que você veio será que pode ficar na cozinha? Um dos nossos cozinheiros passou mal e teve que ir embora. Prometo que amanhã você ficará o dia todo em casa.

-Sem problemas, mãe.

Peguei meu uniforme e o vesti, e logo me dirige à cozinha. Comecei a preparar Yakissoba, Sashimi, Sushi, Tempurá e outros pratos japoneses.

***

-Nossa dona Gina, a comida estava deliciosa! A melhor comida japonesa que já comi!

-Obrigada Zac, mas acho que você deve dizer isso a Vanessa! Foi ela quem fez!

Quando minha mãe disse isso, Zac me olhou com um sorriso torto e eu logo senti minhas bochechas ganharem uma tonalidade de um vermelho escuro.

-Parabéns Vanessa! Sua comida é maravilhosa!  

-Obrigada, Zac!

Ele apenas deu o sorriso mais lindo de todos e logo ele e sua família se despediram e saíram do restaurante.

***

Mais um dia cansativo naquela escola onde todos me odiavam estava começando. Eu estava andando até o meu armário para guardar alguns livros quando de repente alguém se esbarrou em mim propositalmente, me fazendo cair no chão.

Alana Amorim. A menina mais minada da escola. Ela me odeia em todos os sentidos, e eu nunca fiz nada a ela.

-Olha só! A nerd ridícula se jogando aos meus pés! O que foi queridinha? Tá querendo fazer parte da minha turma é?

Ela deu me deu um leve chute, mas que devido seu salto agulha e a ponta de bico fino, me fez soltar um baixo gemido de dor.

-Olhem como ela é uma fracassada, gente! A pobre nerd não sabe nem se defender!

Todos que estavam “assistindo” aquela cena riram de mim, debochados!

-Hey Vanessa, o que está havendo aqui?

Aquela voz. Senti dois braços me levantando e pegando meus livros do chão. Zac.

-Zac? O que você...

Ele me interrompeu dando um beijo na minha testa e me abraçou, e eu  logo escondi meu rosto em seu peito.

-Xiu, tá tudo bem! Confia em mim!- ele sussurrou baixinho pra mim, acariciando meus cabelos. - E vocês hein?! Quem pensam que são para fazer isso com ela? Deviam ter vergonha por agirem como um bando de criancinhas. Principalmente você- ele disse olhando para Alana- devia se envergonhar por ser tão fútil egoísta e debochada. Tenho certeza que você faz isso por sentir inveja da Vanessa, porque além de linda, ela é inteligente, coisa que você não é. Não é mesmo?!

Alana estava de boca aberta. Assim como todos os outros ali presentes, inclusive eu.

-Sei que acabei de chegar nessa escola, mas já vou avisando que o próximo que mexer com a Vanessa vai se ver comigo! Entenderam?- apenas o silêncio se ouviu naquele corredor.- Ótimo! Vamos ir pra aula, linda!

Espera! Ele me chamou de linda?! OMG!!! E me abraçou mais forte, andando comigo pelo colégio! Ok, eu vou pirar!

Depois do episódio, Zac ficou perto de mim o tempo todo. Não falamos sobre isso, mas ele me entendia apenas com um olhar. Durante a quinta aula, recebi uma mensagem de mamãe dizendo que eu não precisaria trabalhar e que eu podia dar uma voltinha pela cidade. Depois da aula, Zac me levou a um jardim muito lindo, lugar o qual, eu mesma não conhecia.

-Obrigada por hoje Zac! Foi muito legal o que você fez, mas... Não precisava! Agora todos vão te zoar por você ter defendido a nerd ridícula da escola!

-Nessa... Posso te chamar assim né?! – eu apenas assenti com a cabeça, sorrindo. - eu não estou nem aí para eles. Eles podem falar o que quiserem de mim, mas de você não. Poxa, desde ontem não paro de pensar em você. E cara, isso nunca aconteceu comigo. Quando te vi foi como se eu estivesse olhando o paraíso. Quando você sorriu meio sem graça, meu coração quase saltou pela minha boca, quando te abracei hoje, senti todo o ar fugir de meus pulmões.

Eu já estava chorando perante as palavras mais lindas que eu alguém havia dito pra mim.

-Você é tão linda, doce e delicada, além de ter mãos de fada na cozinha- ele disse sorrindo, me fazendo soltar uma risadinha- e deveria ser valorizada. Não deixe que te humilhem, não deixe que façam de você um fantoche, não deixe que eles apaguem o seu brilho, por que você merece tudo. Merece ser feliz, merece ser amada. E eu tô falando tudo isso, porque na verdade eu tô tentando falar eu tô gostando de você. É claro que tá cedo. Mas aconteceu e eu amei. Que se dane os outros, é só você que me importa, princesa!

Eu já não me continha de tanta satisfação, alegria, emoção e de um sentimento totalmente desconhecido por mim, mas eu sabia o que era. Paixão. Talvez o início de um grande amor. Não importava. Era real. Zac estava ali. Via-se em seus belos olhos  azuis a sinceridade de suas palavras. Tão perfeito para mim. Tão lindo. Tão meu.


E foi assim que aconteceu. Um de seus braços rodeou minha cintura, me puxando para perto, enquanto sua mão acariciava meu rosto e meus cabelos. Seus olhos me olhavam com intensidade e seu sorriso era o mais lindo do mundo. Meus braços rodearam seu pescoço e um choque transpassou por todo o meu corpo e foi ali que percebi que eu queria que aquilo fosse para sempre. Seu nariz roçou minha bochecha, e depois ele me deu um beijinho de esquimó. Em questão de milésimos de segundos, senti sua boca colada na minha, num beijo calmo, terno, carinhoso e cheio de paixão. O meu primeiro beijo. A minha primeira paixão. O meu primeiro e único amor. 

5 comentários:

  1. Ain...que liiiindo.
    Eu simplesmente amei essa fic.
    Tão fofa.
    Ficou incrível.
    Preciso de um cara assim na minha vida.
    Buaaa...quero um namorado assim.
    Posta loguinho
    Bjos, Rafa

    ResponderExcluir
  2. Aiiiiiin q cute *-*
    Amei amei amei amei amei demais

    ResponderExcluir
  3. aiii para tudo,
    Adoreii,ameii sem mais
    Ele tá tão cute cute,perfeito como sempre ameii hehe
    Não demora pra posta não kk
    posta loguinho
    xoxo ♥♥

    ResponderExcluir
  4. Ameiiii lindo
    Super meigos os dois
    Posta logoo
    Beijos
    Tizz

    ResponderExcluir
  5. Acho q ta ficando repetitivo mas fazer o que se eu amei!? Ta perfeito a historia!! Amei a maneira como o Zac defendeu a Vanessa!!! 💜

    ResponderExcluir